Canguru de Matemática: 39 medalhas para nossos estudantes

Para muitos a Matemática é uma disciplina abstrata, focada em números e contas. Mas para participar da Canguru de Matemática, é preciso que os alunos pensem além das equações. Essa missão foi cumprida com sucesso pelos alunos do Band que conquistaram 39 medalhas na Olimpíada internacional realizada com estudantes de 56 países.

canguru1

A Canguru de Matemática consiste na aplicação de uma prova – nivelada para cada série e ano do Ensino Médio e Fundamental – com questões que envolvem a Matemática e o cotidiano, estimulando a curiosidade dos estudantes e reflexão sobre situações de suas vidas. Esse é um dos motivos pelos quais a competição tem crescido entre os interesses dos alunos do Band: houve um aumento de 20% entre os alunos que participaram em 2016 e em 2017.

canguru2

Para a classificação há notas de corte que garantem medalhas de ouro, prata e bronze. Dos 84 alunos do Band que participaram foram 12 de ouro, 11 de prata e 16 de bronze. Não há curso específico no Band que prepare os alunos para a prova – o conhecimento e habilidades são adquiridos no currículo regular.

canguru3

“É uma alegria ver os alunos participando da Canguru de Matemática. Nosso grande objetivo é que, como o contexto das questões é motivador, os alunos se interessem pela Matemática. Não há receita para os problemas, eles devem resolver os exercícios a partir de suas próprias vivências”, contou o Coordenador de Matemática, Carlos Oliveira.

Medalhas na Química

Há 16 anos, para participar da Olimpíada Paulista de Química, o Band reúne alunos com algo em comum: o amor pela Química. Todos os anos, alunos participam da Olimpíada de Química para a qual há um curso preparatório durante a 2.a série. Esse ano foram garantidas três medalhas.

olimp_quimica_2017

alunos Pietro de Camargo, Pedro Anequini, Fábio Siqueira (professor), Celina Huey e Lilian Siqueira (professora)

A primeira fase da Olimpíada contou com a participação de alunos de cerca de 2.000 escolas do Estado de São Paulo. O objetivo: uma redação sobre as olimpíadas do Rio de Janeiro. Nela os alunos puderam provar que as reações químicas ultrapassam os limites das ciências exatas e estão presentes no cotidiano.  Já a segunda fase colocou a prova conhecimentos e habilidades. Estudantes de cerca de 50 escolas foram ao Instituto de Química da USP onde resolveram uma prova de alto nível de dificuldade baseada na observação de um experimento realizado por professores do instituto.

O resultado saiu no dia da prova e, dos quatro alunos do Band que participaram da Olimpíada, três conquistaram medalha. Pietro de Camargo Palma, da 3.a série, conquistou uma de prata e Celina Huey Oshiro, da 3.a série, e Pedro Anequini Nogueira, da 2.a série, garantiram duas de bronze.

Esses resultados foram conquistados com muito trabalho: todos os alunos que foram a Olimpíada participaram, durante a 2.a série do Ensino Médio, do curso preparatório para a competição junto aos professores Fábio e Lílian Siqueira. “A parte mais gratificante desse trabalho é ver como eles gostam de participar do curso. É extracurricular e não vale nota mas, mesmo assim, todos sempre marcam presença e recebemos cada vez mais alunos interessados”, disse o professor Fábio Siqueira.

“A experiência, desde ir até o Instituto de Química da USP até fazer a prova, foi muito empolgante, afinal eu adoro Química. Fazer a prova é muito interessante, porque tem exercícios nos quais você realmente precisa pensar”, destacou Pietro de Camargo Palma.

As medalhas conquistadas garantem, para cada aluno, uma vaga na Olimpíada Brasileira de Química.