Alunos são medalhistas na Olímpiada Canguru de Matemática

Todo ano, ocorre o tradicional evento internacional Canguru, de Matemática. Trata-se de uma olimpíada acadêmica na qual mais de seis milhões de estudantes de 52 nacionalidades participaram em 2016.

canguru

Não foi realizado nenhuma seleção de alunos para participarem da prova, e de um contingente de setenta alunos, trinta excederam a nota de corte e foram premiados. No total, foram 10 medalhas de ouro, 11 de prata e 9 de bronze.

“Não há nenhuma preparação especial para esta prova, portanto, podemos afirmar que este resultado mostra o excelente nível de Matemática do Colégio. Além disso, é uma boa indicação de que os conhecimentos de Matemática de nossos alunos podem ombrear com os de qualquer estudante de outros países ”, explicou o Coordenador de Matemática, Carlos Oliveira.

Para que as disciplinas caiam no gosto dos alunos, há um incentivo grande para participações em acontecimentos como este. Para os interessados em um aprofundamento, o professor Rogério Chaparim, ministra um curso especial para olimpíadas escolares.

Confira a lista dos medalhistas clicando aqui.

Estudantes conquistam três medalhas na Olimpíada de Química/SP

O saldo da Olimpíada de Química do estado de São Paulo foi, mais uma vez, muito positivo para o Bandeirantes. Os estudantes medalhistas foram Diego Zancaneli (2º Ano – Bronze), Lucca Blois (3º Ano – Prata) e Mateus Tubone (3º Ano – Prata).

FB398AE5-C8AD-468B-B48E-AB8FA919BB6C

Mateus Tubone, Diego Zancaneli e Lucca Blois

No Bandeirantes, o processo preparatório para a competição começa no segundo ano, com um curso específico com cerca de 15 alunos. “Para uma atenção personalizada, podemos escolher dois alunos por série para participar. Então, a seleção interna que fizemos foi bem intensa.”, comentou a professora de Química Lilian Siqueira.

O tema abordado este ano foi a utilização da luz na Química. Os participantes se prepararam especialmente por meio de aulas experimentais nos laboratórios de Química, ministradas pelos professores Lilian e Fábio Siqueira. “Sem o apoio e dedicação dos professores, realizar essa prova não seria possível”, destacou o medalhista Diego Zancaneli.

A primeira fase  da Olimpíada exigiu que os alunos exercitassem suas habilidades de criatividade e escrita por meio de uma redação que envolvesse o tema. “Foi uma experiência bastante interessante, pois tive que estudar mais profundamente alguns tópicos da Química para criar uma história boa”, pontuou Diego.

Já no dia da fase final, realizada no Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP), os alunos presenciaram professores do Instituto de Química realizando experimentos relacionados ao tema da prova e, logo em seguida, responderam a um questionário. “Todos os medalhistas serão inscritos pelo estado de São Paulo para participaram da etapa Brasileira. Ou seja, o mais interessante é que esses alunos não representam só o Bandeirantes, mas todo o estado”, completou a professora.